• 1 Acervo Iconográfico - Bondes
  • 1 Acervo Cartográfico - Paço Municipal
  • 1 Acervo Iconográfico - Vista Geral da Cidade
  • 1 Acervo Iconográfico - Praia do Boqueirão
  • 1 Acervo Iconográfico - Rua do Comércio
  • 1 Acervo Cartográfico - Teatro Guarany

    • Fundação Arquivo e Memória de Santos

      A Fundação Arquivo e Memória de Santos é uma instituição que trabalha no gerenciamento dos arquivos públicos da Prefeitura de Santos e com a memória documental e iconográfica da Cidade, garantindo a salvaguarda, a preservação e a disseminação desse patrimônio.

    CASA DE FRONTARIA AZULEJADA


     frontaria.jpg



    A Casa de Frontaria Azulejada é uma das mais significativas obras arquitetônicas de Santos, construída em 1865 para servir de residência e armazém ao comendador português Manoel Joaquim Ferreira Netto.  

    Em uma época de acúmulo de riquezas decorrente da alta da exportação cafeeira, o prédio, com dois pavimentos, ficou conhecido pela sua fachada de influência neoclássica formada por azulejos em alto relevo importados de Portugal.  

    Concebida em forma de ‘U’, a construção tinha a abertura voltada para o mar e ia até o porto. Segundo o livro Santos Noutros Tempos, de Costa e Silva Sobrinho, isso facilitava o processo de carga e descarga de mercadorias: os produtos chegavam até o armazém em barcas que navegavam no canal interno aberto na casa.  

    Com os anos, o sobrado passou a ser utilizado como escritório, hotel, armazém de cargas e, por fim, como depósito de adubos químicos. Em 1973, foi tombado pela antiga Secretaria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (SPHAN), atual Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), que proibiu o proprietário de utilizá-lo para guarda de fertilizantes, provocando seu abandono definitivo.  

    Anos mais tarde, vieram também os tombamentos pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat) e pelo Conselho de Defesa do patrimônio Histórico de Santos (Condepasa). Em 1986, quando foi desapropriada pela Prefeitura, a Casa de Frontaria Azulejada estava semidestruída, sem o teto e o piso superior.  

    A recuperação da fachada da casa aconteceu em 1992, com a devolução da estrutura original da porta principal e dos azulejos, restaurados ou reproduzidos. Realizado pelo artista plástico Luís Sarasá, o trabalho constituiu tarefa artesanal, cujo resultado contabilizou sete mil peças novas.  

    De 1996 a dezembro de 2005, a Frontaria abrigou em seu anexo o Arquivo Permanente (AP).  
    Em meio a uma grande festa de inauguração, o Espaço Cultural Frontaria Azulejada foi oficialmente aberto ao público em 5 de dezembro de 2007, com a exposição fotográfica 'Ayvu-Rapitá – retratos de uma civilização, de Antônio Vargas'. O espaço foi idealizado para receber atividades culturais, como exposições variadas, lançamento de livros, apresentações musicais de caráter intimista, entre outras.  

    Há também sala dotada de tv e dvd, destinada a reuniões e workshops, além de dependências de serviço equipadas com freezer, geladeira e fogão. Os interessados em locar o Espaço Cultural Frontaria Azulejada (Rua do comércio, nº96 Centro histórico) devem entrar em contato com a FAMS pelo endereço eletrônico: sede@fundasantos.org.br ou pelo telefone (13) 3202-1240.


    Confira as Fotos da Frontaria Azulejada.

    Confira o vídeo sobre a Frontaria Azulejada!



    Serviço


    A Fundação funciona de segunda a sexta, das 9 às 17 horas.
    Sede: (13) 3202-1240 Email: sede@fundasantos.org.br
    Endereço: Rua Amador Bueno, 22 - Centro Histórico, Santos - SP - CEP 11.013.150
    Arquivo Permanente: (13) 3213-1730
    Endereço: Rua Amador Bueno, 61 - Centro Histórico, Santos - SP - CEP 11.013.150
    Arquivo Intermediário: (13) 3223-4873
    Endereço: Rua Da Constituição, 62 - Centro Histórico, Santos - SP - CEP 11.015.471

    Parceiros

    Arquivo NacionalArquivo Público do Estado Prefeitura Municipal de SantosMuseu do Café